Rua de São Tomé, Bairro Cruzeiro, 1º Andar Esquerdo, Ingombotas | Luanda - Angola
+244 942 888 080 geral@sarmn.ao

Autor: Asmaro Tulumba

BENEFÍCIOS DA MEDICINA NUCLEAR

O nome “Medicina Nuclear” e palavras como radiação e radioactivo podem muitas vezes ser vistas como assustadoras para os pacientes.

Muitos pacientes podem se perguntar:

A medicina nuclear é perigosa?

No entanto, é impossível olhar para os riscos sem olhar para os benefícios.

Os riscos da medicina nuclear são pequenos e os benefícios são inestimáveis:

1. Esses testes fornecem informações funcionais e anatómicas inatingíveis em outros procedimentos.

2. Muitas vezes, os testes de medicina nuclear fornecem aos médicos as informações de diagnóstico mais úteis e as informações mais úteis para determinar um curso de tratamento.

3. Os exames de PET podem dizer se os tumores são malignos ou benignos e podem impedir que um paciente faça uma cirurgia mais perigosa ou mais cara.

4. Esses testes também têm a capacidade de detectar doenças em seus estágios iniciais e, às vezes, antes mesmo de as doenças causarem sintomas.

Quando você conhece os prós e os contras dos exames de medicina nuclear, pode ficar tranquilo sabendo que a imagem nuclear é segura. Se você estiver procurando por medicina nuclear na área de Luanda, encontre as nossas instalações para marcar uma consulta com um de nossos radiologistas.

Riscos da Exposição à Radiação para fazer Exames Diagnósticos

Não há nenhum risco. Todas as quantidades de radiação que são utilizadas, tanto para diagnósticos quanto para terapias, são muito pequenas e fazem uso de substâncias que são eliminadas pelo corpo com rapidez.

Actualmente, mais de uma centena de isótopos radioactivos são usados nas mais diversas áreas da medicina, chegando ao ponto de inaugurar uma nova área de trabalho e pesquisa, denominada de Medicina Nuclear.

Uso em diagnósticos:

Os radio fármacos, em sua maioria, são usados na medicina nuclear para realizar diagnósticos. O método mais tradicional é o da cintilografia, que usa o iodo-123 e o tecnécio -99m, para exames na tireóide e nos rins, por exemplo. Outro método em que são utilizados os radio fármacos e o da tomografia por emissão de pósitrons (PET), que utiliza o flúor-18.

Nos exames de cintilografia, o radio fármaco é injectado no paciente e, depois de algum tempo, se deposita nos órgãos. O paciente é colocado em uma câmara gama, que mostrará a emissão de radiação no órgão em que o radio fármaco está depositado. Através da leitura feita pelo equipamento, são geradas imagens em que é possível diagnosticar qualquer alteração no organismo do paciente.

Nos exames de PET, o flúor é injectado no paciente e o equipamento PET faz a leitura da radiação emitida pelo paciente, transformando em imagens cintilo-gráficas em conjunto com imagens tomográficas, o que acaba resultando na melhoria da qualidade das imagens.

Uso em tratamentos:

Neste caso, os radio fármacos são mais activos e usados para tratar algum órgão específico. O elemento mais usado é o iodo-131, que emite radiação gama e beta, na forma de iodeto de sódio. Ele é mais utilizado para o tratamento de tumores da tireóide.
Também podemos citar o fósforo-32, usado para o tratamento de doenças malignas do sangue, ossos e ovários, o samário-153 (emissor beta) e o rádio-223 (emissor alfa), esses dois últimos usados em tratamento de tumores ósseos.

CANCÊR DA PRÓSTATA E A MEDICINA NUCLEAR

O câncer da próstata já é o segundo tipo de câncer mais comum entre os homens, atrás apenas do câncer de pele não-melanoma.
A próstata, localizada logo abaixo da bexiga e na frente do recto, faz parte do sistema reprodutor masculino. É do tamanho de uma noz e envolve a uretra (o tubo que esvazia a urina da bexiga). A próstata produz fluido que faz parte do sémen.

O câncer de próstata ocorre quando certas células dentro da próstata crescem de maneira descontrolada e anormal. Alguns tumores crescem lentamente, enquanto outros crescem em um ritmo mais rápido. Quando localizado ou confinado à próstata, o câncer de próstata pode ser curado.

A tecnologia ligada a medicina nuclear tem sido a grande aliada para a detecção precoce do câncer de próstata, bem como para a escolha do melhor tratamento, o que aumenta de forma considerável as chances de cura.

Os agentes de imagem de tomografia por emissão de posítron PET/CT com PSMA é um exame que diagnostica precocemente os focos de câncer antes das alterações anatómicas e permite tratamento assertivo que aumenta significativamente a sobrevida do paciente.
Melhore a sua qualidade de vida, marque já o seu exame.

Medicina Nuclear

É uma Especialidade Médica que utiliza substâncias radioactivas não seladas, com meia vida física curta, para o diagnóstico e tratamento de doenças.

Os exames de Medicina Nuclear são chamados de cintigrafia (cintilografia ou gamagrafia).

Os radionuclídeos /radioisótopos usados em Medicina Nuclear são emissores de radiação gama (γ) radiação beta (β) e positrões ( β+).

Estes são dos radioisótopos mais usados em Medicina Nuclear convencional: o Tecnécio-99m (99mTc), o Iodo-131 (131I), o Iodo-123 (123I), o Tálio-201 (201Tl), o Gálio-67 (67Ga) e o Índio-111 (111In), pois emitem, de forma contínua radiação gama , que é detectado por aparelhos especiais, denominados gama-camaras e  que, por sua vez, têm associados sistemas de computadores que transformam a radiação emitida pelo doente numa imagem, a cintigrafia. Esta, depois de trabalhada no computador e fotografada, é interpretada pelo médico com a especialidade de Medicina Nuclear, que elabora um relatório sobre o exame efectuado.

O radiofármaco com emissor de positrões mais utilizado é a 18F-fluordesoxiglicose (18F-FDG). Os estudos PET têm a sua aplicação mais extensa em doentes oncológicos, embora também sejam muito úteis em diversas situações neurológicas e casos particulares de doentes cardíacos.

Os radioisótopos que são usados, são geralmente ligados a um composto especial (um radiofármaco) que se concentra no órgão alvo.

Existem radiofármacos para praticamente todos os órgãos e sistemas e, como tal, actualmente, a Medicina Nuclear é útil num vasto campo de áreas médicas, nomeadamente na Oncologia, Cardiologia, Nefrologia, Urologia, Pneumologia, Endocrinologia, Pediatria, Neurologia, Gastrenterologia, Reumatologia, Psiquiatria, etc.

Existem dezenas de diferentes procedimentos que permitem estudar praticamente todo o organismo.

O Radiofármaco pode ser administrado ao paciente por diferentes vias, incluindo a endovenosa (mais comum), oral, por inalação, etc.

São procedimentos (estudos) seguros, não dolorosos e não provocam habitualmente qualquer tipo de reacção alérgica.

As cintigrafias não devem ser realizados em caso ou suspeita de gravidez.

CINTILOGRAFIA

A cintilografia é uma área da medicina nuclear que têm como base a análise da função dos tecidos e de órgãos. Nela, as imagens são obtidas por meio da radiação emitida pelo material administrado ao paciente.

A cintilografia, não avalia as patologias pelo modo como elas alteram a anatomia do corpo ou se desenvolvem estruturalmente. O estudo é feito a partir do modo como a doença altera o corpo do ponto de vista funcional, farmacológico, bioquímico e molecular. Deste modo, estes exames evidenciam problemas em órgãos internos mais precocemente do que os outros métodos de imagem.

Quando um órgão é afectado por determinada doença, ele passa a absorver mais ou menos de um determinado radio-fármaco, do que um tecido normal. Após a administração do radio-fármaco, o aparelho faz um rastreamento do corpo, analisando o padrão de radioactividade e criando imagens que mostram o percurso da substância e o local onde ela se acumula.

Quando a cintilografia é indicada?

Este exame pode ser solicitado por diversos factores.
• A cintilografia do miocárdio, por exemplo, pode ser indicada para diagnosticar a isquemia mio-cárdica e prevenir a ocorrência de infarto.

• A cintilografia óssea, pode ser indicada para detectar diversos tipos de câncer, processos inflamatórios e doenças metabólicas.

• Já a cintilografia renal serve para estudar a função dos rins e a excreção da urina para a bexiga, detectando infecções ou malformações no trato urinário.

• A cintilografia cerebral é indicada para diagnosticar doenças neuro-degenerativas (Alzheimer, demência frontotemporal, multi-infarto, etc), transtornos depressivos e de ansiedade, dentre outros.

Então, gostou desse conteúdo?

Não perca tempo, e marque já o seu exame.

GAMAGRAFIA

A gamagrafia é um exame baseado na utilização de elementos radioactivos e é extremamente útil para o estudo do esqueleto.
Este exame consiste na injecção, via circulação sanguínea, de um isótopo radioactivo, inócuo para o organismo, que possui uma afinidade especial pelo osso.
Após a sua administração, o radioisótopo vai-se distribuindo pelo corpo, chegando ao osso altamente vascularizado. Dado que as radiações gama emitidas pelo isótopo podem ser registadas através de um aparelho especial, estes dados são utilizados por um computador para elaborar imagens do sector do esqueleto estudado.
Desta forma, é possível comprovar se os ossos se encontram em perfeitas condições ou constatar, por exemplo, se em alguns existe um aumento da actividade metabólica provocado por uma infecção, um problema que pode ser detectado, desta forma, antes da manifestação de lesões visíveis num exame radiológico convencional.

RADIOTERAPIA

A radioterapia é um tipo de tratamento contra o câncer que utiliza como método a radiação ionizante, que afecta o DNA das células. A radiação atua, principalmente, no controle do crescimento desordenado das células, levando o paciente à cura e quando não é possível eliminar o tumor, funciona como uma forma de melhorar a qualidade de vida do paciente.

Benefícios da Radioterapia

A radioterapia apresenta muitos benefícios ao paciente com câncer. Entre eles, podemos citar:

• Geralmente, não necessita de nenhuma internação;

• As sessões de radioterapia são relativamente curtas;

• Costuma apresentar muitos resultados positivos;

• Pode contribuir para a qualidade de vida daqueles pacientes em que a eliminação do câncer não é mais possível, nesse caso, observa-se a redução do tumor, levando à diminuição de dores, hemorragias e outros sintomas desagradáveis.

Como é Feita a Radioterapia?

A radioterapia é um método de tratamento de câncer cuja quantidade de aplicações necessárias deve ser estabelecida por um médico. O profissional irá analisar o paciente e delimitar a área em que se deve aplicar o tratamento, diferentemente da quimioterapia, que o medicamento entra na corrente sanguínea, a radiação é aplicada em uma área específica.

A Radioterapia Pode Ser Feita de Duas Formas:

• Radioterapia externa ou teleterapia: A radiação é emitida por um aparelho, que é colocado a uma distância do paciente. Esse equipamento é ajustado de modo que a radiação seja emitida directamente no local que será tratado. O paciente, nesse caso, permanece deitado durante todo o processo. Caso a região a ser tratada seja a cabeça ou o pescoço, o paciente deverá utilizar uma máscara que o manterá imóvel, garantindo que a radiação atinja o local adequado.

• Braquiterapia: Esse procedimento diferencia-se da radioterapia externa, pois são colocados aplicadores em contacto com o local que será tratado, e a radiação é emitida directamente nesses aplicadores. Nesse caso, poderá ser necessário sedar o paciente.

Ressonância Magnética

O exame de ressonância magnética é um exame de diagnóstico por imagem, que não possui radiação e permite a captação de imagens detalhadas e tridimensionais de forma não invasiva.

É utilizada uma tecnologia de ponta que estimula e detecta a mudança na direcção do eixo de rotação dos pró-tons encontrados na água que compõem os tecidos vivos. Essas moléculas são captadas pelo aparelho de ressonância e reproduzidas no computador para avaliar o resultado obtido.

Como funciona a ressonância magnética?

As ressonâncias magnéticas funcionam como ímãs que produzem um campo magnético que força os pró-tons presentes no corpo humano a se alinharem. Uma corrente de radiofrequência é pulsada através do paciente e quando é desligado, os sensores de ressonância magnética são capazes de detectar a energia liberada conforme os pró-tons se realinham com o campo magnético.

Com base nas propriedades magnéticas colectadas durante o exame, o médico especialista é capaz de visualizar os vários tipos de tecido e estruturas do corpo humano.

TIPOS DE EXAME DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA

» A ressonância magnética depende da área a ser avaliada e do uso ou não de contrastes ou sedação, assim dente muitos, temos:
» Ressonância magnética com contaste;
» Ressonância magnética das articulações;
» Ressonância magnética do crânio;
» Ressonância magnética de campo aberto;

Radiologia

A radiologia é a especialidade médica que, como o nome diz, utiliza radiações para realizar diagnósticos e até mesmo o tratamento de algumas doenças. Nos últimos anos, a especialidade passou a ser conhecida como radiologia, em virtude dos outros exames e diagnósticos que abrange e que não necessariamente fazem o uso da radiação, como é o caso de exames de ultra-sonografia e ressonância magnética.

Quem descobriu a possibilidade de explorar as imagens formadas pela radiação foi o físico alemão Wilhelm Conrad Röntgen, que deu nome à técnica baptizada por ele de raios X no final do século 19, mais de 100 anos se passaram e a radiologia expandiu suas possibilidades para diagnóstico e tratamento com técnicas ainda mais avançadas, como a tomografia computadorizada e a mamografia, por exemplo.

Graças às técnicas de diagnóstico por imagem, hoje é possível avaliarem com grande detalhamento e precisão condições clínicas que antes não eram descobertas ou que precisavam ser investigadas de forma mais invasiva, com cirurgias exploratórias, por exemplo. Ela permite diagnosticar e dimensionar fracturas de ossos, lesões musculares, tumores, doenças neurologias, entre outras possibilidades.

Nossos Serviços

Melhore a sua qualidade de vida/saúde.

Venha e conheça os nossos exames em Medicina Nuclear:
» Cintilografia
» Gamagrafia
» Tomografia por emissão de positrons (PET-CT)

Logo
Estamos relacionada às ciências radiológicas, bem como, às especialidades médicas que usam radiações com fim diagnóstico ou terapêutico.

Newsletter

Subscribe to our Newsletter to be updated.