Rua de São Tomé, Bairro Cruzeiro, 1º Andar Esquerdo, Ingombotas | Luanda - Angola
+244 942 888 080 geral@sarmn.ao

Dia: 11 de maio, 2022

Riscos da Exposição à Radiação para fazer Exames Diagnósticos

Não há nenhum risco. Todas as quantidades de radiação que são utilizadas, tanto para diagnósticos quanto para terapias, são muito pequenas e fazem uso de substâncias que são eliminadas pelo corpo com rapidez.

Actualmente, mais de uma centena de isótopos radioactivos são usados nas mais diversas áreas da medicina, chegando ao ponto de inaugurar uma nova área de trabalho e pesquisa, denominada de Medicina Nuclear.

Uso em diagnósticos:

Os radio fármacos, em sua maioria, são usados na medicina nuclear para realizar diagnósticos. O método mais tradicional é o da cintilografia, que usa o iodo-123 e o tecnécio -99m, para exames na tireóide e nos rins, por exemplo. Outro método em que são utilizados os radio fármacos e o da tomografia por emissão de pósitrons (PET), que utiliza o flúor-18.

Nos exames de cintilografia, o radio fármaco é injectado no paciente e, depois de algum tempo, se deposita nos órgãos. O paciente é colocado em uma câmara gama, que mostrará a emissão de radiação no órgão em que o radio fármaco está depositado. Através da leitura feita pelo equipamento, são geradas imagens em que é possível diagnosticar qualquer alteração no organismo do paciente.

Nos exames de PET, o flúor é injectado no paciente e o equipamento PET faz a leitura da radiação emitida pelo paciente, transformando em imagens cintilo-gráficas em conjunto com imagens tomográficas, o que acaba resultando na melhoria da qualidade das imagens.

Uso em tratamentos:

Neste caso, os radio fármacos são mais activos e usados para tratar algum órgão específico. O elemento mais usado é o iodo-131, que emite radiação gama e beta, na forma de iodeto de sódio. Ele é mais utilizado para o tratamento de tumores da tireóide.
Também podemos citar o fósforo-32, usado para o tratamento de doenças malignas do sangue, ossos e ovários, o samário-153 (emissor beta) e o rádio-223 (emissor alfa), esses dois últimos usados em tratamento de tumores ósseos.

Logo
Estamos relacionada às ciências radiológicas, bem como, às especialidades médicas que usam radiações com fim diagnóstico ou terapêutico.

Newsletter

Subscribe to our Newsletter to be updated.